Acompanhe o “TESTANDO AS FERRAMENTAS” e saiba como fazer Marketing Digital passo a passo, de forma simples e dinâmica. Nosso objetivo é construir negócios digitais descomplicados. Vou lançar as ferramentas que testei, post a post, aceito sugestões, deixe seu feedback que testo e descrevo. Não tenho resposta pra tudo, mas prometo pesquisar. Não existem fórmulas, mas essa é  uma boa hora para você criar as suas.

Aqui também vamos dar dicas sobre estratégias de Marketing para o seu negócio, bora lá? Se você “TA DENTRO” faça já o seu cadastro!

Salva aí nos FAVORITOS.

O que eu quero vender?

Primeiramente, é preciso entender que todo e qualquer negócio tem que estar na internet nos dias atuais. Mesmo que o seu mercado esteja na prestação de serviços a internet te ajuda na busca de clientes. Possibilita avaliação e localização. Qualquer que seja o seu negócio ele precisa ser visto, e qualquer que seja seu cliente, ele merece a possibilidade de interagir com você.

Para quem eu quero vender?

Depois é definir quem é seu público Alvo. Vá a fundo, conheça aquela pessoa bem de perto, o que ela sente, os lugares que frequenta, com quem ela se relaciona. Você não pode invadir a rede social de ninguém, mas pode observar por onde ela navega sem ser inconveniente, de quais grupos participa, quais atividades ela pratica. Escolha seu público ideal, alguém com que você se identifique.

Está parecendo pretensão escolher a pessoa para quem quer vender, não? Nas vendas tradicionais pode ser, mas nos novos negócios, cada mais personalizados, não! 

Como criar conteúdo?

Marketing de conteúdo nada mais é do que o centro da estratégia digital. É a maneira de engajar o público e crescer na rede por meio de conteúdo relevante. É o combustível do inbound.

Então, é uma técnica de educar a audiência e potenciais clientes sobre o segmento da sua empresa, transformar seu negócio referência em determinado assunto e influenciar na decisão de compra de futuros clientes.

Planejamento Estratégico

Independente do nível da organização, o mais importante é que seja funcional e que cada setor consiga se comunicar entre si e com o outro. Comece a planejar o caminho que deve percorrer para chegar em qualquer que seja o lugar que você quer chegar.

Os fatores de sucesso dependem de como você irá definir suas estratégias e para quem irá destinar. Conheça bem o seu negócio e a sua persona, delimite, defina, antes de espalhar sua ideia por aí.

Onde está o gargalo?

Quem coordena empresas sabe o quão difícil é manter um processo funcional. Se sua empresa não tiver fluência, é preciso identificar onde está o gargalo, o que não está funcionando. Nem tudo é que nem o McDonald, mas toda empresa deve ter os seus próprios processos.

Identificar os gargalos e planejar a capacidade de agregar valor e buscar mais clientes, é a principal meta do Design Thinking. É um processo que encontra quem define e qual a hierarquia desses processos, para a partir daí iniciar a tomada de consciência do processo e a inovação a partir da gestão do conhecimento. E como se faz isso?

Gestão do conhecimento, processos e inovação

Desenhar o funcionamento de gestão e sistemas. Em tese é basicamente assim, interagir com a empresa e todos os seus processos. Aproximar-se do problema e mergulhar nas implicações da empresa. Esse é o maior desafio do Design Thinking, estudar o ponto de vista de cada atividade e os caminhos até o consumidor final. A busca da oportunidade a partir da necessidade e dos problemas. É ver o lado bom do lado ruim.