fbpx

Blog

Pegadinhas de Português I

Pegadinhas de Português I

Se tem uma coisinha complicada nesse mundo é “os paranauê” do Português, e não estou me referindo ao Manoel da padaria,“ora pois”, mas a LÍNGUA PORTUGUESA, se alguém disser que é fácil está de pegadinha. As regrinhas de português são de uso rotineiro, diferente da fórmula de báskara que você custou aprender e nunca usou na vida, a escrita correta está cada vez mais infrequente e com isso mais inestimável, ainda mais em uma era em que escrever errado é “compreensível” “aki” ,“dinovo”,“menas”,“nada haver”“seje”… E por aí vai…

Eu que sou jornalista, sou surpreendida pelas regras o tempo todo, jamais esqueço da “Profe”  Marisa da sexta série, e sempre que posso, dou uma revisada nas apostilas ou nas buscas do Google, as vezes (vai crase ou não vai?), na busca por esclarecimento, encontro mais e mais dúvidas.

Morfologia

São as conhecidas classes gramaticais: Substantivo, artigo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, adverbio, preposição, conjunção e interjeição.

Primeiramente quero dizer que, para entendermos português temos que pensar na relação morfológica – palavras. Tento fazer esse exercícios quando estou lendo alguma notícia, separar o substantivo do verbo, o pronome… Assim, vou  desmembrando a Sintática – Oração (conjunto de palavras – tudo que pensamos encima do verbo)/ a Semântica – Sentido e o significado e Estilo – Regra X Uso – O estilo tem muito a ver com regionalização e estilos de falar e escrever (aqui, para mim, é algo muito pessoal, gosto de escrever de forma leve, simples de entender e com linguagem bem coloquial, como se fosse uma conversa informal).

Falando desta forma, o parágrafo acima parece beeem confuso e sem sentido nenhum, mas vou recapitular um pouquinho sobre morfologia que já já você fará uma viagem no tempo e lembrar da “profe” escrevendo de giz no quadro negro.

Substantivo:

É tudo que tem nome e que não é verbo. Mas vejamos, a palavra CORRIDA, por exemplo, é substantivo, mesmo sendo um verbo! Certo? CERTO! O substantivo corrida é uma variável do verbo correr, isso é SEMÂNTICA, ou seja, muda de sentido. O substantivo pode estar associado ao verbo. Do contrário também acontece, veja a palavra ORDINÁRIA, que é um adjetivo não associado ao verbo, onde há um conflito de nome que não é verbo. Agora as explicações acima começam a fazer sentido para você?

Em uma rápida busca no Google encontrei mais meste argumento: “Além de objetos, pessoas e fenômenos, os substantivos também nomeiam: lugares, sentimentos, estados (alegria, tristeza), qualidades e ações”. Basicamente, é preciso exercitar as classificações.

Artigo:

Os artigos acompanham os substantivos e servem para definir o número e o gênero. Eles podem ser: definidos e indefinidos! Isso vale para a vida real não é? Aqueles que você sabe quem são e aqueles que você não sabem quem são. Esta é a prova da bipolaridade da língua portuguesa (risos).

Vou dar exemplos:

ex.1 : “Uma festa vai acontecer depois da pandemia”.

ex.2: : “A festa terá 500 convidados”.

 

Percebe que no primeiro exemplo eu digo “uma” (artigo indefinido) e no segundo exemplo eu digo “a” (artigo definido), quando digo “a” eu sei quem é o sujeito? Sim, é a “uma” que eu não sei quem é. Nos exemplos, primeiro eu generalizo e depois determino, e quando determino eu sei de quem estou falando, que é a pessoa que eu não sei quem é…. Ficou agora fácil né?

Adjetivo:

Qualidade ou característica – boa ou ruim…  exerce funções sintáticas relativo ao substantivo, pode alterar a semântica, sem mudar o sentido da frase. Sua variante é locução adjetiva que pode estar ligado a um adjunto adverbial.

NEM SEMPRE HÁ UM ADJETIVO EQUIVALENTE! Por quê? Porque os adjetivos são limitados, já as locuções adjetivas, não.

Adverbio:

Advérbio é sempre invariável, NÃO MUDA. Um advérbio é um adjunto adverbial porque ele tem a ideia de adverbio. Então, todo adverbio é um adjunto adverbial, mas nem todo adjunto adverbial é um adverbio. Na análise morfológica, advérbio é a análise da palavra, adjunto adverbial é a frase, que da a ideia do advérbio.

Se alguém entendeu isso na sexta série está de parabéns, Gênio@!!!

Preposição:

Preposição é sempre invariável e desempenha a mesma função sintática! Liga dois elementos da oração, subordinando o segundo ao primeiro, ou seja, o regente e o regido.

Pronome:

O pronome está em tudo!

Mas, vamos falar daquela “pegadinha” de sempre: Este ou Esse?
Depende!
Depende do falante e do ouvinte, do espaço e do tempo, mas tem que haver a troca, o diálogo.

Demonstrativo de espaço:

  • Este – próximo de quem fala
  • Esse – perto de quem ouve
  • Aquele – longe dos dois

Em relação ao tempo:

  • Este – presente e futuro
  • Esse – passado breve
  • Aquele – passado distante

Em relação ao discurso:

  • Este – vai ser dito
  • Esse – já foi…

Indefinidos:

  • Nenhum: pronome
  • Nem um: numeral

Os pronomes estão cheios de regrinhas básicas e de erros constantes, você deve lembrar daquela mais tradicional: “MIM NÃO CONJUGA VERBO”

Então: No fim de frase vai, mas se tiver um verbo depois, você (pron. de tratamento), ou tu (pron. reto), sempre usa EU para fazer a ligação. Certo? Não tens outra opção, baby!

Verbos:

Seguindo as classificações morfológicas ainda temos os numerais que indicam quantidade ou posição, essa é fácil.

As Interjeições que indicam sentimento ou expressam emoções.

Tem também as conjunções que ligam as orações e são divididas em coordenadas e subordinadas, elas são quem dá coesão e coerência, o que dá liga ao texto.

E tem os verbos, ahhhhh os VERBOS! Eles indicam ação, estado ou fenômenos da natureza! Só isso? Nãããooo, vamos ter que falar dos verbos em outro POST, pq vai faltar espaço aqui para eles!

Leave a comment

WhatsApp Chama ae